quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Em decorrência da morte da cachorra, veadeira-nacional, Diana - matriarca dos exemplares de  Cabrália Paulista as atualizações deste blog estão temporariamente suspensas.

A cachorra era muito querida e no momento os sentimentos por essa perda impossibilita a motivação de manter as atualizações.

Obrigado

Andrey

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

"S.O.S. Veadeiro Nacional"



“O veadeiro nacional renasce das cinzas “.

Após a divulgação do texto anterior vários e-mails e telefonemas  foram recebidos sobre histórias e indagações sobre o veadeiro nacional principalmente de pessoas do sul do país onde também existe o veadeiro pampeano que apesar de ter hábitos semelhantes nada tem a ver com o veadeiro nacional sendo de coloração e formato diferente. Porém quanto ao objetivo principal da criação do blog priorizando a busca de genética mais apurada para cruzamento com as cachorras ½ sangue que aqui de  Cabrália Paulista demorou para termos novidades.


O focinho alongado é um dos padrões da raça

 Certo dia recebi a ligação de um senhor de São Bento do Sapucaí – SP  que me relatou que a cachorra que aparece atrelada ao macho no blog , é filha de um cachorro dele. Após me parabenizar pela matéria , relatou ainda que também havia perdido a pureza da raça mas sabia de um senhor no interior de MG  que guardava a genética dos veadeiros nacionais como relíquia. Após contato com o referido senhor fomos informados por ele que havia doado um casal a um produtor frutas da região Bragantina do estado de  São Paulo, o qual já embutido na causa S.O.S veadeiro nacional gentilmente nos recebeu em sua propriedade nos cedendo um  casal que a alguns meses já estão em Cabrália Paulista aguardando o tempo  necessário para cruzamento .

Casal de Veadeirons Nacionais já nasceram cotós  


As orelhas "quebradas" o olho de "japonês" e o rastro imaginário de veado na testa também são padrões da raça

De todos os comentários quem enviaram sobre o assunto , o que mais me chamou atenção foi de um rapaz chamado Danilo o qual defende a tese de os verdadeiros nacionais serem descendentes do Cirneco Del Etna chamado também de CÃO DE SIRENE ou CÃO DO FARAÓ  que aparecem em estátuas com orelhas eretas em filmes de histórias antigas do continente europeu .Teriam então sido introduzido no Brasil pelos imigrantes  europeus.

Velocidade, olfato aguçado e resistência a longas perseguições são características dos Veadeiros Nacionais . Por se tratar de um "fóssil vivo" é também mais resistente à doenças.

Acredito que o mistério quanto a origem do veadeiro nacional a verdadeira resposta ainda estamos distante de obtê-la pois tanto o Dingo Australiano , o Azawaki Africano e mesmo o Cirneco Del Etna  europeu possuem cauda , indaga-se então porque grande parte dos veadeiros nacionais nascem cotós (com alguns centímetros de cauda ). Seria, talvez, o parente original do Brasil das outras raças citadas.







VIDEO: Exemplares de Cabrália Paulista apresentam hábitos selvagens característicos da raça

Agradecemos a todos que colaboraram para o sucesso de nossa causa.
Não vamos deixar o veadeiro morrer , não vamos deixar o veadeiro acabar. 

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

TEXTOS ANTERIORES - S.O.S. Veadeiro Nacional

O que me impulsionou a montar este site é que procuro a raça (veadeiro nacional) pela internet sem sucesso já há algum tempo.

Não desmerecendo raças como Beagle e os cães popularmente chamados de Americano, Veadeiro Pampeano , etc., que já encontrei por essas paginas... Mas, não era o que procurava! Não era o padrão da raça que tenho na memória de minha infância e que só não foram totalmente dizimados pela insistência de verdadeiros apaixonados pela raça. Hoje pelo interior paulista onde existiam em grande numero nas décadas de 60, 70 sobraram apenas alguns exemplares que viemos selecionando e trazendo conosco aqueles que encontramos por longos anos e cruzando sempre com outro que trazia mesmo escondido geneticamente os traços da raça. Podemos dizer que hoje temos aqui em Cabrália Paulista (região de Bauru- SP) sobreviventes que variam em torno de 50% da raça, não chegando ainda a “quebrar” as orelhas como acontece com o casal maravilhoso da raça veadeiro nacional que aparece no site apresentado pelo criador de São José Dos Campos, ao qual quero parabenizar por apresentar na imagem o padrão da raça.


Padrão da raça Veadeiro Nacional, 
apresentada por criador de São José dos Campos


O latido dos nossos ainda trás o som rouco do americano que custa para deixar os seus traços genéticos. Desta forma seria super interessante a troca de genética para o apuramento de nossos cães aqui da região.

Tenho a convicção que o quase desaparecimento do veadeiro nacional se deu por diversos fatores que descrevo abaixo:

• O desinteresse por raças de cães de caça, com a proibição da mesma, nas décadas anteriores.

• Pelo êxodo rural, onde a raça pouco se adaptou a meios urbanos , sendo que alguns de nossos exemplares chegam até a se esconder quando vêem pessoas estranhas ou então quando chegam a vias publicas, se desesperam em correrias que ate mesmo o seu dono tem trabalho para apanhá-los. Tenho ainda o testemunho de um senhor que quando se mudou para a cidade seu veadeiro nacional escalou uma parede e fugiu.

• Ser cão pouco obediente (talvez ao formato do crânio desproporcional ao seu corpo) o que não o torna recomendado como cão de companhia.
• A antiga tese "Cruze com Americanos que fica bom". (talvez o principal fator de sua quase extinção).

• O preconceito da população por agredir animais silvestres (imagine então
exterminarmos a Onça Pintada, a Sussuarana, o Lobo Guará, entre outros, pois também atacam outros animais). Um dos últimos exemplares quase apurados
em nossa região, foi abatido a tiro por um fazendeiro quando em corrida por sua fazenda passava.

Hoje o que move nós apaixonados pela raça não é mais o desejo pela caça como faziam em décadas atrás, mas sim o sentido de preservação da raça que defendemos a tese de ser originalmente brasileira e que queremos o seu reconhecimento para que seja a segunda raça reconhecida no país, hoje a única raça considerada brasileira é o Fila, fato que iremos debater ate que alguém prove sobre a origem do nosso veadeiro nacional. Vale lembrar que paises europeus com área territorial infinitamente menor que a nossa tem diversas raças de cães reconhecidas. Afinal queremos debater qual é a origem do veadeiro nacional? Se foi trazido de outro continente, por quem e quando? Se é fruto de cruzamento com outras raças, quais seriam? Ou seria nativo do Brasil desde a época de seu descobrimento? A verdade que os senhores tendem a convir é que este cão é totalmente adaptado ao nosso continente, principalmente ao cerrado brasileiro, por sua cor, pelagem, focinho alongado, faro aguçado, resistente, preparado a grandes perseguições... Sou testemunho juntamente com muitos conterrâneos que pelo nosso interior paulista espalhados estão de que o veadeiro nacional apresentava maneiras organizadas de caça mesmo sem ajuda de seres humanos, a matilha dava o levante a caça, outro cercava na espreita e quando não obtinham o sucesso ficavam em corrida durante varias horas, o que mostra hábitos selvagens.

Fator importante que não poderia deixar de ser colocado é a tese de que o continente americano e africano já ter sido um dia, um só. Se existe fundamento ou não nesta tese, não seria este "sertanejão" do interior paulista a discutir, mas a semelhanças entre varias raças e espécies dos mesmos são notórias, veja como exemplo o Leopardo e a Onça Pintada, o Serval e a Jaguatirica, o Calau e o Tucano e etc. Agora faço a indagação, se alguém já ouviu falar no Azawakh, cão selvagem africano domesticado por tribos indígenas daquele continente. Observem as imagens e pasmem quanto a semelhança com o nosso veadeiro nacional. 


Azawakh: Cão selvagem domesticado por tribos africanas


o Dingo australiano é outro exemplo de cão selvagem reconhecido no mundo. Pena que poucos dão valor pelas coisas do Brasil. Estamos criando este verdadeiro S.O.S veadeiro nacional porque defendemos esta tese. Nos interessamos em troca de genética da raça.

Se comuniquem conosco, faça seu comentário. "Não deixem o veadeiro morrer, não deixem o veadeiro acabar".

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Exemplares atuais em Cabrália Paulista

 Capotira (flor do mato) nasceu em dezembro de 2008 em Cabrália Paulista-SP.

 Capotira: o focinho alongado é um dos padrões da raça.

Capotira: Veado ou veadeiro? Talvez a origem da denominação da raça.Por esta duvida muitos exemplares já pereceram.

O "olho de japonês", toco de rabo, "espinho" no final do crânio e a lenda do rastro de veado imaginário na testa também são padrões da raça.


Honda: nasceu em Cabrália Paulista em dezembro de 2009.

Combate

No detalhe da foto abaixo o cahorro "Combate", Veadeiro Nacional puro, após uma caçada no município de Cabrália Paulista na década de 60, quando a caça ainda não era proibida.